Rádio Brasil Sertão

Polícia Civil prende duas pessoas acusadas de violações de túmulos no cemitério de Vazante

"O fato ocorreu em Vazante no noroeste Mineiro "

A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (26), duas pessoas acusadas de violação de túmulos do Cemitério Campo da Esperança, em Vazante. Objetos e ossadas humanas também foram recuperadas.

“Operação Finados” deflagrada pela Polícia Civil de Vazante contou com a participação de policiais civis de Patos de Minas e apoio do Ministério Público de Vazante.

Conforme as informações levantadas pela reportagem da Rádio Montanheza, a Polícia Civil de Vazante representou pela prisão preventiva de dois autores, sendo um de Vazante e outro de Patos de Minas. O pedido de prisão foi deferido e cumprido nesta quinta-feira (26). Foram cumpridos ainda três mandados de busca e apreensão, dois na cidade de Vazante e outro na cidade de Patos de Minas. Também foram recuperados objetos e ossos humanos subtraídos do cemitério local.

O Instituto Médico Legal (IML) e a perícia realizaram procedimentos de exumação no cemitério de Vazante, a fim de constatar a falta dos restos mortais de duas pessoas, bem como na cidade de Patos de Minas, onde estes estariam enterrados.

Os autores presos foram encaminhados para o presídio na Cidade de Paracatu, onde ficarão à disposição da Justiça. Dados dos acusados não foram divulgados.

A DENÚNCIA

Conforme denúncia feita, no mês de dezembro de 2022 um grupo de pessoas, lideradas por uma pessoa da cidade de Patos de Minas, violaram e profanaram sepulturas no Cemitério Municipal de Vazante. O grupo também teria vilipendiado e subtraído cadáveres que estavam no local, os quais teriam sido ocultados na residência do investigado de Patos de Minas.

O funcionário do cemitério de Vazante, além de praticar os delitos contra o “respeito aos mortos”, também teria recebido vantagem indevida a fim de auxiliar os demais investigados. O funcionário seria o responsável por escolher qual túmulo seria violado, desenterrar os corpos, subtrair objetos e garantir que a prática delituosa não fosse descoberta.

Ossadas humanas e objetos de sepulturas foram subtraídos do cemitério de Vazante e ocultadas na residência do investigado de Patos de Minas.

A investigação continua visando identificar outros envolvidos.

Por Anderson Franque / Montanheza FM 93.5

Powered by Froala Editor

NOTÍCIAS MAIS LIDAS
REGIÃO: Tortura, sequestro e cárcere privado: quadrilha é alvo de mandados em Coromandel e região